300 expressões que só um madeirense entende

A belíssima pérola do Atlântico, terra de gente aguerrida, possui um enorme número palavras fora do comum. Descubra 300 expressões típicas madeirenses.

36967
7
COMPARTILHE
Queijo da Serra da Estrela

É sabido que na Madeira e Porto Santo fala-se de uma maneira muito especial. A partir de frases/palavras em português ou outras línguas, desenvolveu-se uma linguagem muito peculiar nestas ilhas. Esta linguagem é geralmente formada por corrupção, deformação e/ou deformação dessas mesmas frases ou palavras.

Dois exemplos dessa formação: Chimeco: Diz-se que tem origem na palavra inglesa shoemaker (sapateiro), outrora inscrita numa sapataria da cidade do Funchal, cujo dono era de estatura relativamente pequena. Assim, na linguagem popular madeirense, por corrupção, ficou chimeco para caracterizar um homem de pequena estatura. Stefan: Roda sobressalente de um automóvel. Quando foi inventada a roda sobressalente, pela fábrica Stepney Road Grip, em 1914, logo se usou o nome da fábrica para definir essa roda.

Para mais exemplos, segue-se um pequeno dicionário do que ainda é possível ouvir no dia-a-dia do falar madeirense.

 

A

Abelhinha – Automóvel, taxi.

Abicar-se – Atirar-se.

Aboseirado – Sentado descontraídamente

Aduelas – Costelas; “Estepilha, levei um sopapo e quebrei as aduelas”.

Adufa – Fossa “Cheiras que nem uma adufa”

Afiusas – Esperar ter sucesso a troco de outro. Assegurar

Agarra-te às orelhas – Diz-se quando se tropeça e cai.

Agetivar – Amealhar.

Áh cão – Expressão de nojo.

Ajoujar – Sofrer o peso de qualquer carga ou ceder com o peso

Alivia – Atira, por ex. alivia a bola…

Altear – Utilizado para expressar o acto de elevar/subir o volume do rádio, tv (alteia a televisão)

Altear a Joeira – Masturbação masculina.

Aluado – cabeça no ar, maluco

Amanhar – Endireitar qualquer coisa. Também no sentido de se livrar de apuros – “Ele que se amanhe”

Andar de beiças – Estar amuado com alguém.

Andar ao cote (especialmente roupa) – Estar bem vestido

Anona – fruto tropical abundante na Madeira, casca verde, interior branco e com pevides pretas

Á pata – Ir a pé.

Arcas – Costas

Arrelia – Incomodidade

Arriba dos pés – Dejectar.

Arrevalhar – Chuva miúda.

Atremar – Ver, compreender.

Atilho – Cordel Fino, Atacadores

Atupir – Enterrar

Aoua – Expressão de admiração

Apatinhar/Apatanhar – Expressão usada para descrever o acto de pisar o pé a alguém

Apilhar  Apanhar “Jogar à apilhagem”

Apoitar – Ficar parado, morto (Derivado de lançar a pouta – tipo pequena âncora das embarcações)

Aquetar – Ficar quieto “Aqueta-te pequeno!”

Avezar – No sentido de repetir alguma acção até abusar.

Azougar – morrer

Azougue – Imen

B

Babádo – Tolo.

Bábeda – Pequena erupção da pele; baba

Babiar – Derrapar

Babuginha – água que fica perto da rebentação das ondas

Bafio – Mau hálito da bebida.

Bagas – Olhos.

Balaio – Cesto

Baldear – Cair

Banheira – Alguidar

Barbante – Fio; cordel; guita.

Batatas – Punhadas.

Batoque – Rolha.

Bêbra – Tipo de figo grande típico na Madeira.

Beiças – Lábios “Pintaste ei beiças?”

Beiçolas – Aquele que mostra tristeza.

Bibi – Galinha (infantil).

Bicha – Fila

Bicharada – Grupo numeroso de pessoas.

Bicho de pêssego – Diz-se de quem é irrequieto.

Bicho do buraco – Diz-se de quem é acanhado.

Bilhardar – falar dos outros, espreitar, ver, ter curiosidade na vida dos outros (vem de Bilharda – o pau que move as precianas na janela)

Bisalho – Pinto

Boseira – Indivíduo sem vontade para trabalhar. Excremento mole.

Brisa – refrigerantes variados…

Brocão – Soco bem forte

Broquilha – Sujeito novo, desajeitado, sem instrução

Brunir – fazer sons idênticos

Bucho Virado – Problemas de Intestinos

Burage – Comida a base de misturas normalmente para os porcos. Diz-se de comida mal feita.

Buzico – Nome que dão às crianças ou crias de animais. Pequeno Lobo Marinho Mascote da Região

C

Caçoar – gozar ou fazer troça de alguém. “Tás a caçoar comigo?”

Cachimónia – Cérebro.

Cacul – Cheio a transbordar

Cacúlo – Monte de terra.

Cagança – Bazófia.

Cagar de Saco – Armar-se ‘em pessoa importante’, falar com convicção sobre algo que não percebe

Cagaço – Susto “Ai cão, tomei cá um cagaço…”

Camalhão – monte de terra usado nos poios…

Cambado – Coxo

Canalha – Conjunto de crianças

Cangalhas – Chifres; cornos.

Cara de cú à paisana – Serve para humilhar alguém.

Caralhinho – Pau para mexer a poncha

Carrolaço – “Tapona” no pescoço.

Carroulo – Parte de trás do pescoço.

Cá te viste – Afirmação negativa.” Para receber ele é menino, mas para dar cá te viste”

Catre – cama

Catchú – Bola de Futebol

Charnota – Habitante de Machico

Chavelha – Habitante de Câmara de Lobos.

Chibarro – Marido enganado.

Chibo – Corno, contar algo que não devia ser dito…

Chiquemane – Bom, perfeito.

Chinesa – Café Meia de Leite

Chorrica – Diarreia.

Cisco – Lixo.

Colma – Vagina.

Consciência – Lamento, Tristeza “É uma consciência!”: Que pena!

Coral – Cerveja

Cochiquinha – Muito Pouco. Um bocadinho

Cramar: Queixar-se “tás sempre a cramar”

Conduto – Petisco para acompanhar o prato principal.

Cubanos – Todos os habitantes do Continente, principalmente os alfacinhas!

D

Da fábrica se-me-dão – Coisa gratuita.

Dar aúga a pintos – Que não dá nada; pessoa muito forreta.

Dar Bêbras – Horas erradas “O teu relógio ta dar “bêbras””

Dar o canêlo – Morrer.

Dar no porco – Ter insucesso.

Dar no gôto – Causar inveja, engasgar-se

Dar o fuseco – Prostituir-se ou “dar o cú”…

Dar uma carreira – correr

De pata rapada – Descalço; Zé Ninguém.

Demitado – De propósito “Vim demitado aqui para falar consigo”

Dentinho – Petisco para tomar bebidas.

Diache: Diabo “Ah Diache…” Seu Diache…”

Dita – União natural de dois frutos.

Dose – Veneno.

E

Emantado – Triste; doente.

Embate – Brisa fresca que sopra do mar para terra.

Embalagem – Andar depressa (quase descontrolado). “passou por aqui embalado que mal o vi.

Embalamado – Gordo que mal pode andar

Embolajádo – Achatado, deformado

Em cima dos cornos – Em cima da cabeça.

Escamalhar – Fugir de alguém.

Emazarulhado – Enxovalhado

Enxerto de porrada – Grande sova

Escarafunchar – Remexer, esgravatar

Escramentar – Aprender a lição, não voltar a fazer algo que correu mal “Tás escramentado?”

Estepilha – Define exclamação. O mesmo que Caramba

Estepulha – criança traquina

Estepor – Peste, pessoa de má índole “Seu estepor!”

Esticar o pernil – Morrer (o diache da cabra tá quase a esticar o pernil”

Estrampalho – Estomago

Em cima do pente – No baixo ventre. Ex.: ” A minha velha anda com uma dor em cima do pente, vou levá-la ao dôtor”.

Estar pelas pelinhas – Ameaça de castigo ou desprezo.

Estiar – Parar de chover

Esvarar – Escorregar. “Tava arrevolhando, esvarei e pizei-me”

F

Falta de pau – Diz-se quando alguém tem comichão nas costas ou falta de homem.

Fazer o catatau – Molestar; fazer sofrer.

Fazer focinho – Mostrar que não lhe apetece.

Fazer ramelas – Provocar inveja.

Fazer sinagogas – Fazer trejeitos.

Feio cuma noite dos trovões – Pessoa muito feia, medonha.

Fincar na pança – Empanturrar-se de comida ou levar uma facada.

Fiusos – Fusíveis ou Dijuntores. Fios de Cobre Fino

Fome de rabo – Muita fome; miséria.

Forrado – Tempo nebuloso, nuvens da serra para o mar”

Frangolho – Papas de farinha grosseira de trigo, temperadas com banha de porco

Fraima – Susto, Ânsia, angústia “Não sei o que se passou, tou cá cuma fraima…”

Frigir – o mesmo que fritar

Furado – Túnel

G

Gadelha – Cabelo cumprido…

Gamesse – Pastilha elástica

Gardadeira – mulher típica de Câmara de Lobos (aquela que guarda a p… do marido e usa a dos outros)…

Garoto – café com leite

Gavela – quantidade indeterminada

Gofe – Género de massa tipo de padeiro, feita de farinha de centeio torrada

Godilhões – Caroços “O milho hoje ficou cheio de godilhões”

Gosma – Pessoa que tem por hábito obter coisas por favor. “tas sempre na gosma”

Grado – cão.

Grêlo no ar – Diz-se de mulher libertina.

Grumitar – vomitar.

Guedelha – Cabelo

Guiador – Direcção do Automóvel (Volante)

H

Horário – Autocarro

Hora de tempo – O mesmo que dizer uma hora.

I

Ilha da minhoca – Cemitério

Incravar – Cravar.

Indagora – Frase de concordância, vá (ão) embora, há pouco tempo atrás

Inhame – tubérculo muito abundante nas ribeiras da Madeira e utilizado na culinária local.

Ir cascar batatas – Maneira de mandar alguém embora.

J

Joeira – Papagaio de papel.

Já fui e já vim – Fui lá e já voltei.

Jericar – Carregar fardos ao ombro

Juntar – Apanhar do chão.

L

Lagaceira – Água espalhada pelo chão.

Lá-lá – Dar um passeio às crianças.

Lagartixa – Lagarto Insular

Lambaça – Falar muito alto de forma irritada.

Lambeca – Gelados de Máquina

Lanço – Caudal secundário das levadas.

Lanzudo – Termo irónico que se aplica a alguém quando nos irrita ou pessoa com muito pêlo.

Lapinha – Trono ornamentado onde se coloca o Menino Jesus no Natal.

Lar – Lareira.

Larilhas – Homossexual

Lascar – Rasgar

Lenhos – Cortes na cara

Levada – canal de transporte de água na serra

Levar o recado na cara – Criticar com aspereza.

Luzir – Indícios de maturação dos frutos.

M

Macacos – Letras mal feitas.

Macaqueira – Pequena doença.

Maçaroca – Espiga de Milho (Milhe)

Madorna – Sonolência.

Mais velho qu’ o norte – Muito velho.

Mal ataganhado – Mal feito.

Mal injusto – O mesmo que dizer: injusto.

Malha – Tareia “Levou uma malha”

Malhão – Sova, malha grande

Mamada – Bebedeira

Manilha – Cano para condução de água.

Manta – O mesmo que “Poio” (O grado azougou e foi atupido na manta das tenerifas)

Manulhão – um galo na cabeça

Marca – Botão da Roupa

Mau cum’ as cobras – Pessoa muito má.

Melancão – Indivíduo sem actividade, submisso.

Menino – Pessoa inteligente, esperta.

Menineiro – Aquele que parece que nunca envelhece.

Mercar – Comprar

Modilhos – Fazer trejeitos, caretas

Morgado – Nome que se dá a pessoa irreflectida, desobediente ou filho de uma relação fora do casamento.

Morrer com os pés amarelos – Morrer solteira.

Mouco – Surdo “Nã me ouviste, tás mouco ou quê?” ou “Conversas Loucas Orelhas Moucas”

N

Nada no mundo – Coisa nenhuma.

Nan dar amor de si – Estado comatoso.

Nan fósses – Não mexas.

Nan s’ andamos na escola juntos – Repreensão que se faz a alguém que não se conhece e nos trata por tu.

Não é filha de minha mãe – O mesmo que dizer: “Não sou eu”.

Nausear – Vomitar.

Nem todos ui dias é dia de festa – O mesmo que: “Nem sempre se faz isso”.

Nikita – Bebida tipicamente madeirense com cerveja, ananás, gelado, etc

No cabo – No fim. Ex.: “Ele táva para ir, mai no cabo o patrão não deixou”.

No sintido – Na memória.

Nunca nan vi – O mesmo que: “Nunca vi coisa assim”.

O

Obra – Excremento humano.

O dinheiro é meu moço – O mesmo que ” Com dinheiro compro o que quero”.

Oh mãe! – expressão de surpresa, susto.

Olho de boi – Lanterna a pilhas.

O que vier morre – O mesmo que: ” O que me derem serve”.

Ouro e fio – Nem mais nem menos, com referência ao peso certo.

O relógio da Sé é que repete – Diz-se quando não estamos dispostos a repetir o que se disse

P

Paciência de corno – Diz-se quando se tem paciência para aturar alguém que nos chateia constantemente.

Padaria – Cú de uma mulher boa ou de alguém que queremos chatear.

Pancume – Pancadaria.

Palheiros – Galinácios de raça pequena

Palhete – A fósforo

Pampilhões – Socos “Se não tás calado levas uns pampilhões!”

Papelotes – Madeixas enroladas de cabelo.

Paral – Pau roliço que se mete debaixo dos barcos para auxiliar o seu deslizamento.

Pastilhas – Comprimidos

Pataca – Moeda de um escudo; moeda pequena sem valor, Cêntimos de euro

Pao de lume – Fósforos.

Pau de conto – Vara comprida com um cone de ferro na extremidade inferior servindo como vara de salto para transpor as deficiências do terreno onde apascenta o gado.

Peneirento – Vaidoso

Penca – Nariz

Pepinela – Xu-Xu, para os “cubanos”…

Pegar – O mesmo que “peguilhar”

Peguilhar – Expressão utilizada para descrever o acto de estar a irritar, picar ou “pegar” com alguém

Pevides – caroços dos frutos…

Pineco – Pinto, o mesmo que ‘bisalho’. Diz-se de rapaz pouco corpolento em tom de desdém

Pizar – magoar, ferir “Ele caiu e está pizado”

Poio – socalco de terreno sustido por pedras de basalto muito comum na agricultura madeirense

Poncha – Outra bebida tipicamente madeirense com aguardente de cana-de-açúcar, sumo de limão e mel de abelha

Porradal – Grande sova, grande quantidade de algo “Um porradal de garrafas vazias no caixote”

Prisão – Mola de Cabelo (Tranca = Mola de Roupa)

Profeta – Porto Santense

Q

Quéto – Quieto.

R

Rabichól – Cú.

Rabiçar – Vomitar.

Rabo da lancha – Lugar no fundo, para trás.

Raça atravessada – Atribui-se a pessoa de má índole.

Rebendita – Fazer algo com maldade.

Refresco – qualquer bebida para refrescar a garganta.

Reina – Zanga.

Renheta – Indivíduo de nunca está satisfeito.

Respingo – Salpico “Respingaste-me toda ca água da rega”

Rezonda – Repreensão em caso de discordância.

Rijeiras – Suspensórios.

Roeza – Fome.

S

Saloba – Diz-se quando a água não está boa para beber.

Saltar a lage – Cometer Adultério.

Sassinar – Assinar.

Sarimba – Caruma de pinheiro para fazer a cama ao gado nos currais

Se cair nan passa do chão – Diz-se quando cai alguma coisa ao chão.

Semálha – Galeria onde se colocam os cortinados.

Semilha (falado) – tubérculo, batata

Shongaria – Termo que se aplica a pessoa de baixa categoria.

Sofrer da mola – Sofrer de desarranjo mental.

Sopapo – Cair.

Soquete – Repuxão.

Stefan – Roda sobresselente de um automóvel.

T

Tabaibo – Fruto de uma espécie de cacto muito apreciado no Verão.

Tapona – Chapada na cara.

Tarimbeiro – Espertalhão que não se deixa enganar.

Tarraço – Algo muito implantado “Aquele gajo é um bêbedo tarraço”

Tempo do rei quinze – Tempo antigo.

Tenda – Oficina de sapateiro.

Tentear – Poupar

Tenerifa – Abóbara Madeirense / Tipo de Alface

Ter o diabo no coiro – Diz-se de pessoa que faz tropelias.

Titiço – Pescoço.

Tocar um toque – Tocar uma peça de música.

Topetada – Dar com o pé acidentalmente em alguma coisa

Tosse de cachorro – Tosse rouca.

Traineira – barco dos pescadores

Trambolhar – Cair.

Trancas – Molas de roupa

Tratuário – Passeio de calçada

Trompicar – Cambalear, Enganar, Dar-se mal “Se continuas na tua teima, vai-te trompicar comigo”

Tropezia – Fraqueza nos membros

U

Um pau pelo olho dentro – Diz-se quando se verifica uma coisa rara, surpresa.

V

Vaca – Mulher corpulenta.

Vaginha – feijão verde

Vento na poupa – Andar apressadamente.

Ver um mosquito nas desertas – Diz-se de pessoa que tem boa vista.

Verga – Grande bebedeira “Tou cá cuma verga”

Viração – Corrente de Ar

X

Xixarro – Carapau

Xou – Termo usado para enxotar.

Z

Zangalha – Peixe gata.

Zangalheiro – Pouco firme.

Zarolho – Vesgo

7 COMENTÁRIOS

  1. … de verdade, alguns vocábulos são-me estranhos … mas, na maioria dá para entender !!! … …

  2. Posso dizer que muitas expressões desconhecia, no entanto está a faltar uma expressão,

    Dar uma vela!

    Sentido: ganhar uma corrida por larga distância.

  3. Muitas expressoês são por mim desconhecidas !
    Na Madeira existe a banheira ,e o alguidar! A banheira é grande e oval. e é de aluminio ; O alguidar é redondo e é feito de barro , vidrado ou não vidrado ,tal qual se usa no continente. usamos cá a expresão, que diz , A morte de meu marido: é como um alguidar , parte-se um, .compra-se outro.e vai para o mesmo lugar …:: incravar significa ( Tramar).: e não cravar ,;( pinpinela) pode muito bem ser madeirense xu, Xu, não é nome português . mas sim! fracês, ou grego até os ingleses o usam! . ( não o digo de certeza ) de qulquer maneira é um nome adotado . se no continente dizem XU XU foi que adotaram dos BRAsilheiros::: Uma dose significa muita coisa ! Eu vou a um restaurante e peço uma dose de lapas , ou uma dose de feijoada à transmontanaou tambem pode ser meia dose::: muitas expresoês nos dias de hoje são usadas no brasil como enxergar ,( ver) açougue, (TALHO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here