COMPARTILHE

Em Portugal, existe dois santos casamenteiros. Um com o seu trono em Lisboa que é Santo António, e outro situado a norte, S. Gonçalo de Amarante. Para não haver concorrência desleal entre os dois, Santo António encarrega-se das moças, enquanto S. Gonçalo trata das velhas. Santo António, também se especializou (não sei se foi na Lusófona), numa forma especial de fazer as pazes entre casais brigados. Para isso, é preciso um cravo e uma rosa.

Amarante
Amarante

Os talos devem ser amarrados juntos com uma fita verde, na qual serão dados 13 nós. Durante o procedimento, o devoto deve pensar que Santo António vai uni-los outra vez. Como vê, não há razão para tanta desavença.

Amarante
Amarante

Rapariga encalhada que vá às festas de São Gonçalo e deseje casar, deve puxar o cinturão da imagem de São Gonçalo três vezes, mas na imagem que se encontra na sacristia, não a da igreja.

Amarante
Amarante

Caso não o faça, corre o risco de nunca casar! Indo assim, engrossar o clube das tias crónicas ou solteironas. S. Gonçalo de Amarante é popularmente conhecido como casamenteiro das velhas.

Amarante
Amarante

De um protesto da juventude nortenha que se julga preterida por este santo, nasceu a seguinte quadra popular: S. Gonçalo de Amarante, Casamenteiro das velhas, Porque não casas as novas? Que mal te fizeram elas?

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here